All posts by Alexandra

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Sericaia do convento de Elvas

Quando se fala em doces conventuais por algum motivo penso logo em algo difícil e hipercalórico como é o caso do toucinho-do-céu, do pão de rala ou dos fios de ovos mas isso nem sempre se verifica.

Sim! A doçaria conventual é rica pois é composta por grandes quantidades de açúcar e gema de ovo, matérias-primas que abundavam nos conventos, no entanto o processo de fabrico nem sempre é complexo como é o caso do doce de ovos, dos pudins ou da sericaia que normalmente se faz acompanhar pelas Ameixas de Elvas em calda. Eu sempre achei que as freiras deveriam de ser formiguinhas para acumular tanto açúcar, no entanto o trabalho que fizeram com esta sobremesa típica do Alto Alentejo é realmente do outro mundo pois faz lembrar uma nuvem bem fofinha e deliciosa.

(receita de sericaia ou cericá para um prato de  X cm de diâmetro)

Ingredientes para esta receita:

– 8 ovos;
– 260g de açúcar branco;
– 650ml de leite gordo;
– 90g de farinha de trigo;
– 1 casca de limão;
– 1 pau de canela;
– 1 pitada de sal;
– Canela em pó q.b.

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Continue reading Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Farinha torrada de Sesimbra

Farinha torrada de Sesimbra

A farinha torrada de Sesimbra começou por ser utilizada pelos pescadores da vila como alimento durante os longos dias de faina pois para além de energético este bolo aguenta bastante tempo. Eventualmente a iguaria foi descoberta por volta dos anos 70, começou a ser comercializada nas pastelarias locais e mais tarde passou a ter presença assídua nas feiras de produtos regionais. Hoje em dia este bolinho simples, de preparação fácil é um produto gourmet e o expoente máximo da doçaria nesta vila piscatória de Portugal.

(receita para 8 porções de farinha torrada de Sesimbra)

Ingredientes para esta receita:

– 230g de farinha de trigo sem fermento;
– 230g de açúcar amarelo;
– 1 colher (sobremesa) de canela em pó;
– Raspa de 1 limão (pequeno);
– 70g de chocolate de culinária, cortado em pedaços;
– 1 colher (café) de sal;
– 2 ovos, ligeiramente batidos.

Farinha torrada de Sesimbra
Continue reading Farinha torrada de Sesimbra
Sopa de feijão-verde

Sopa de feijão-verde

Quando perguntam qual é a refeição que mais rende, a resposta é óbvia: com sopa feita em casa ninguém passa fome!

É o prato completo onde a grande variedade de legumes proporciona uma explosão de sabor, as vitaminas que ficam na água da cozedura fortificam a saúde, o consumo de hortaliças ajuda na ingestão de líquidos e é a melhor forma de começar qualquer refeição.

Rica em fibras, sais minerais e vitaminas, tem baixo teor calórico, ajuda a saciar e rapidamente se pode complementar com petiscos como salada de frango, ovos verdes, pataniscas de bacalhau, pizza ou tábua de queijos.

Por isso cá em casa o jantar é sempre sopa!

Esta que descrevo aqui tem a base de cenoura aveludada, enriquecida com vagens de feijão e é das favoritas do Chef Bruno, uma delicia!

Sopa de feijão verde

(sopa de feijão-verde para 4 pessoas)

Ingredientes para esta receita:

– 3 batatas;
– 7 cenouras;
– ½ cebola;
– 1 dente de alho;
– Água ou caldo de legumes q.b.;
– 300g de feijão-verde;
– Sal;
– Azeite.

Sopa de feijão-verde

Sopa de feijão-verde

Continue reading Sopa de feijão-verde
Bacalhau à Zé do Pipo

Bacalhau à Zé do Pipo

Parece que existem tantas receitas de bacalhau como dias do ano, quando o Sr. José Valentim criou a que viria a ser “A melhor receita ao melhor preço”, decerto que não estava à espera que fosse um sucesso tão grande ao ponto se tornar uma das receitas mais apreciadas da cozinha tradicional portuguesa. Até porque na sua composição entra a maionese que é pouco utilizada na cozinha portuguesa mas a verdade é que a coisa funcionou bem e foi assim que nasceu o Bacalhau à Zé do Pipo (nome pelo qual conheciam o Sr. Valentim no Porto).

Hoje em dia existem duas versões desta receita, com o bacalhau frito em azeite (que depois serve para fazer a maionese) ou esta simples que trago hoje.

 (receita de bacalhau à Zé do Pipo para 2 pessoas)

Ingredientes para esta receita:

– 2 lombos de bacalhau, demolhados e sem espinhas;
– 500ml de leite gordo;
– 1 colher (café) de pimenta branca em grão;
– 1 folha de louro;
– 3 dentes de alho, cortados ao meio e sem o germe;
– Sal;
– Azeite;
– 2 cebolas , cortadas em meias luas;
– 1 receita de maionese caseira,
– 4 batatas médias, descascadas e cortadas em quartos;
– 1 colher (sopa) de manteiga;
– Azeitonas pretas (opcional);
– Salsa (opcional).

Bacalhau à Zé do Pipo
Bacalhau à Zé do Pipo

Continue reading Bacalhau à Zé do Pipo
Bolo de pêssego invertido

Bolo de pêssego (invertido)

O outono chegou em força mas ainda resta alguma fruta do verão, como os pêssegos que me deram esta semana. Eu até pensei em fazer doce mas depois de verificar a despensa vi que ainda há 4 frascos do ano passado logo o melhor é fazer algo completamente diferente, e a votação interna elegeu o bolo de pêssego invertido onde o resultado não podia ter sido melhor, por isso tenho que partilhar esta experiência com vocês.

Adoro este tipo de sobremesa que parece tarte mas como tem aquela camadinha de bolo até que satisfaz mais, perfeito para acompanhar o belo do chazinho a meio da tarde ou para saciar aquela vontade de comer algo doce e reconfortante.

(receita de bolo de pêssego invertido para uma forma de 20 cm)

Ingredientes para esta receita:

Cobertura:
– 500g de pêssegos com polpa firme;
– 50g de manteiga;
– 200g de açúcar.

Bolo:
– 180g de manteiga amolecida;
– 150g de açúcar;
– 2 ovos;
– 200g de farinha com fermento;
– 2 colheres (chá) de extracto de baunilha.

Bolo de pêssego invertido
Bolo de pêssego (invertido)
Continue reading Bolo de pêssego (invertido)