Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Sericaia do convento de Elvas

Quando se fala em doces conventuais por algum motivo penso logo em algo difícil e hipercalórico como é o caso do toucinho-do-céu, do pão de rala ou dos fios de ovos mas isso nem sempre se verifica.

Sim! A doçaria conventual é rica pois é composta por grandes quantidades de açúcar e gema de ovo, matérias-primas que abundavam nos conventos, no entanto o processo de fabrico nem sempre é complexo como é o caso do doce de ovos, dos pudins ou da sericaia que normalmente se faz acompanhar pelas Ameixas de Elvas em calda. Eu sempre achei que as freiras deveriam de ser formiguinhas para acumular tanto açúcar, no entanto o trabalho que fizeram com esta sobremesa típica do Alto Alentejo é realmente do outro mundo pois faz lembrar uma nuvem bem fofinha e deliciosa.

(receita de sericaia ou cericá para um prato de 24cm de diâmetro)

Ingredientes para esta receita:

– 8 ovos;
– 260g de açúcar branco;
– 650ml de leite gordo;
– 90g de farinha de trigo;
– 1 casca de limão;
– 1 pau de canela;
– 1 pitada de sal;
– Canela em pó q.b.

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Como preparar:

Dilui a farinha num pouco de leite de forma a obter um líquido liso e sem grumos.

Coloca o leite restante num tachinho, adiciona a casca de limão, o pau de canela e leva ao lume. Quando levantar fervura, desliga, tapa e deixa repousar por 15 minutos para perfumar o leite com os aromas.

Separa as gemas das claras e reserva as claras.

Adiciona o açúcar às gemas, envolve até obter um creme ligeiramente esbranquiçado, junta a farinha diluída e mexe para homogeneizar.

Adiciona o leite morno, pouco a pouco e sem parar de mexer. Coloca a mistura no tacho e leva ao lume para engrossar.

Mexe ocasionalmente para homogeneizar a mistura e após levantar fervura deixa cozinhar 2 minutos sem parar de mexer.

Retira do lume, coloca numa travessa, retira a casca de limão e o pau de canela, espalha o mais fino possível de forma a arrefecer rapidamente.

Adiciona uma pitada de sal às claras e bate em castelo bem firme.

Coloca o creme, à temperatura ambiente, numa tigela, adiciona 1/3 das claras e mexe energeticamente para deslaçar. Depois adiciona as claras restantes, pouco a pouco, e envolve delicadamente de forma a reter o máximo de ar na mistura.

Tradicionalmente utiliza-se um prato de barro para assar a sericaia mas podes usar qualquer recipiente desde que o rebordo tenha a inclinação necessária para agarrar o doce sem deitar por fora.

Coloca colheradas de massa perpendicularmente do centro até ao rebordo, de forma a preencher o prato por completo.

Agita ligeiramente para que a superfície fique regular e limpa o rebordo.

Polvilha com canela de forma a cobrir a superfície por completo, bate ligeiramente com o prato sobre a bancada e leva ao forno a 180ºC por aproximadamente 40 minutos ou até que a cozinha cheire a canela.

O tempo de cozedura depende de forno para forno, por isso o melhor é fazer o teste do palito! Espeta no meio e se sair limpo é porque está pronta, nunca falha!

Deixa arrefecer por completo  para que a sericaia relaxe e ganhe consistência.

Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)
Sericaia ou cericá (doce típico de Elvas)

Saboreia com ameixas de Elvas em calda, caso não encontres esta preciosidade podes fazer como eu e acompanhar com doce de figo inteiro ou qualquer outro doce da tua eleição.

Curiosidade: A origem deste doce conventual é relativamente controversa, originalmente a receita veio da Índia, passou pelo Brasil, viajou para Portugal, instalou-se no convento de Vila viçosa e só mais tarde é que foi partilhada com o convento de Elvas onde se tornou popular até aos dias de hoje.

Outras sugestões:
Doce da avó;
Pudim de laranja;
Torta de cenoura húmida.

Acompanha as aventuras diárias da Xana nas redes sociais =) Facebook, Instagram ou Youtube.

Prato de barro gentilmente cedida pela Feira da Louça. Para mais informações vai a: https://www.feiradalouca.com/pt/

Porque nunca é tarde para aprender, basta querer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *